Arquivo de abril \29\UTC 2009

29
abr
09

High Tech Fever

Jung Yeon-je/AP

28
abr
09

Chico e Gilmar

Não, não se trata de mais uma dupla sertaneja, dessas que surgem aos borbotões pelo país.

Seguindo um conselho de Rodrigo Vianna, o que transcrevo abaixo é a excepcional reportagem realizada por Leandro Fortes, para CartaCapital, em 20/11/2008.

Diamantino, cidade do Estado de Mato Grosso, cidade natal de Francisco Ferreira Mendes Júnior, o Chico Mendes (desde já com escusas à viúva do saudoso seringueiro xapuriense de mesma alcunha), o seu prefeito à época da reportagem. Não por acaso, irmão de Gilmar Ferreira Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, também natural dali.

O artigo explicita, ou melhor, escancara, talvez uma das principais facetas do atual chefe do Poder Judiciário nacional.

Nos rincões dos Mendes

Existe um lugar, nas entranhas do Centro-Oeste, onde a vetusta imagem do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, nada tem a ver com aquela que lhe é tão cara, de paladino dos valores republicanos, guardião do Estado de Direito, diligente defensor da democracia contra a permanente ameaça de um suposto – e providencial – ‘Estado policial’. Em Diamantino, a 208 quilômetros de Cuiabá, em Mato Grosso, o ministro é a parte mais visível de uma oligarquia nascida à sombra da ditadura militar (1964-1985), mas derrotada, nas eleições passadas, depois de mais de duas décadas de dominação política. 

O atual prefeito de Diamantino, o veterinário Francisco Ferreira Mendes Júnior, de 50 anos, é o irmão caçula de Gilmar Mendes. Por oito anos, ao longo de dois mandatos, Chico Mendes, como é conhecido desde menino, conseguiu manter-se na prefeitura, graças à influência política do irmão famoso. Nas campanhas de 2000 e 2004, Gilmar Mendes, primeiro como advogado-geral da União do governo Fernando Henrique Cardoso e, depois, como ministro do STF, atuou ostensivamente para eleger o irmão. Para tal, levou a Diamantino ministros para inaugurar obras e lançar programas, além de circular pelos bairros da cidade, cercado de seguranças, a pedir votos para o irmão-candidato e, eventualmente, bater boca com a oposição.
 
Em setembro do ano passado, o ministro Mendes foi novamente escalado pelo irmão Chico Mendes para garantir a continuidade da família na prefeitura de Diamantino. Depois de se ancorar no grupo político do governador Blairo Maggi, os Mendes também migraram do PPS para o PR, partido do vice-presidente Continue lendo ‘Chico e Gilmar’

26
abr
09

Jornaleco

A “Folha de São Paulo”, se não bastasse não ceder em fazer jornalismo de qualidade duvidosa, ainda por cima atua com evidente má-fé e em desrespeito aos “freios e contrapesos” que devem pautar a ação dos veículos de imprensa.

Na sua edição dominical (provavelmente o dia de maior vendagem) de 5/4/2009 estampou, no alto esquerdo de sua primeira página, uma foto do que seria a ficha da polícia política da época da ditadura relativa à ministra Dilma Rousseff, associando-a a um plano de sequestro do então ministro da Fazenda Delfim Netto.

FSP - 5/4/2009

Os dias que se seguiram foram de desmentidos que partiram principalmente da própria ministra Dilma, que chegou inclusive a apontar que a ficha publicada era fruto de grosseira manipulação.

Pois bem, a mesma Folha, na edição de 25/4/2009, um sábado (por que não no domingo?), se “retrata”, reconhecendo o “equívoco”. Equívoco imperdoável, pois a vida de um veículo de comunicação está intimamente ligada à checagem de informações, fontes etc., tudo com o fim de retratar a verdade fática. Mas esse jornal, assim como outros veículos da imprensa marrom nacional, como aliás já tratado neste blog, não se esmera e, pelo visto, não se preocupa com isso. Ou seja, primeiro atira; depois pergunta quem é.

Um descalabro.

Na edição de hoje, domingo, 26/4/2009, o ombudsman do jornal, muito timidamente, diz:

ANTIGOS DOCUMENTOS DE BUSH E DILMA

Dois meses antes da eleição presidencial americana de 2004, a rede de TV CBS exibiu reportagem do respeitadíssimo jornalista Dan Rather sobre documentos comprometedores de quando George W. Bush, candidato à reeleição, fazia serviço militar.

A CBS não comprovou a autenticidade dos papéis, depois confirmados como fraudulentos. Ela e Rather foram acusados de tentar influir no pleito. Tudo indica que não houve má-fé. Mas a credibilidade de ambos saiu abalada.

A já complicada reportagem da Folha sobre a atuação de Dilma Rousseff durante Continue lendo ‘Jornaleco’

26
abr
09

Sobre o Congresso Nacional, o STF e afins

Pieter Bruegel o Velho - O Cego Guiando os Cegos - 1568

 Detalhe

Lucas, 6,39: “Jesus contou uma parábola aos discípulos: ‘Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois num buraco?‘”

24
abr
09

Bizarro (se não fosse trágico)

Transcrição do Jornal do Brasil Online:

RIO – O juiz Antônio Aurélio Abi Ramia Duarte, da 12ª Circunscrição do Registro Civil de Pessoas Naturais (RCPN), realizou na manhã desta sexta-feira, um mutirão para autorizar o sepultamento de um total de 21 corpos ‘esquecidos’ no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Além do magistrado, participaram da ação a promotora Nélia Nahid, a diretoria do hospital e funcionários do cartório.

A maior parte dos cadáveres é de pessoas reconhecidas pela família, mas que foram deixadas nas dependências da unidade devido ao alto custo dos sepultamentos.

– As pessoas carentes desconhecem que é possível realizar o enterro dos seus familiares de forma gratuita junto à Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro – explicou o juiz.

A medida foi tomada depois que o juízo foi comunicado pela nova direção do hospital que seu necrotério, que tem capacidade para abrigar 18 cadáveres, estava sobrecarregado. Além disso, outro fator fundamental foi o perigo de contaminação dos demais setores da unidade, principalmente alas próximas, como o centro cirúrgico, a UTI e o setor de alimentação.

– A Comissão de Infecção Hospitalar do Lourenço Jorge nos alertou para o perigo que corriam Continue lendo ‘Bizarro (se não fosse trágico)’

22
abr
09

Quietude

Solar and Heliospheric Observatory

21
abr
09

Faroeste caboclo

Particularmente entendo que as situações não devem ser resolvidas dessa forma, com a mera aplicação da idéia de que é mais eficiente cortar a perna do doente do que lhe dar remédios.
O buraco é mais embaixo.
Decretado toque de recolher para menores no interior de São Paulo
 20/4/2009 – 20h35
 Em Presidente Prudente

 A partir de hoje, os menores de 18 anos não poderão ficar nas ruas e em outros locais públicos, como shopping centers, depois das 23 horas em Mirassol, Itapura e Ilha Solteira, no noroeste do Estado de São Paulo. O objetivo é reduzir os casos de violência envolvendo menores.

Os horários são diferentes e foram fixados de acordo com a idade dos adolescentes nas cidades de Itapura e Ilha Solteira. Nas duas cidades, menores de 13 anos desacompanhados dos pais só poderão ficar nas ruas até 20h30. Já os com até 15 anos têm permissão para permanecer até 22h. Garotos e garotas que têm até 17 anos, prestes a completar 18, devem ir para casa às 23 horas.

A decisão foi tomada numa ação conjunta entre o Conselho Tutelar e a Vara da Infância e Juventude, alegando que no ano passado foram registradas 250 ocorrências envolvendo menores em Itapura e Ilha Solteira.

Em Mirassol, o toque de recolher começa às 23 horas, sem classificação por idade. Até o início da noite de hoje, ao menos três garotas de Mirassol com até 13 anos foram surpreendidas por representantes do Conselho Tutelar e da Vara da Infância e Juventude. Os pais foram chamados para levar as filhas para casa“.




Utilidade Pública

EFEMÉRIDE

Temas

Imagem que conta…

Siga o Cartas de Tiro no Twitter

abril 2009
S T Q Q S S D
« mar   maio »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

RSS Brasiliana

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Posts mais lidos

RSS Notícias

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Leitores por aí

Até o fim!


%d blogueiros gostam disto: